A galope!

Apesar de nunca ter tido aulas de equitação, sempre achei que adoraria saber andar a cavalo. Assim, aproveitei a oportunidade enquanto estive de férias no Norte com a família, na quinta de um familiar, em Famalicão, para experimentar esta atividade que sempre suscitou curiosidade.

Sabem aquela sensação, de que os filmes transmitem, de uma adrenalina enorme, de estar a sentir o vento na cara, o cheiro a natureza, ouvir o galopar dos cavalos e, mesmo assim, conseguir o controle quase total deste animal?

Não, não foi isso que senti! Mas isso não quer dizer que a sensação não tenha sido boa. Muito pelo contrário, gostei muito da experiência, e a conexão que estabelecemos com este animal quando estamos por cima dele é algo muito bonito, mas difícil de explicar por palavras.

Por isso, apesar de ter sido num picadeiro e de ter tido ajuda e indicações, foi uma experiência que gostei bastante e que espero repetir assim que tenha oportunidade.

Como não poderia deixar de ser, aproveitei para tirar algumas fotos para vos mostrar e que aqui vos apresento:

Ed3

Ed4Ed5Ed2

E vocês, já andaram de cavalo? Comentem aí a vossa experiência!

Tudo a correr bem por esse lado, e sejam felizes!

Pelo Douro abaixo!

Boas pessoal!

Fazer um cruzeiro no rio Douro era algo que já estava nos planos da família há já algum tempo. Por isso, como neste ano passámos férias no Norte do país para celebrar os vinte e cinco anos de casados dos meus pais, achámos que era a altura ideal para realizar este famoso passeio.

Logo de manhã, iniciámos o percurso de comboio em direção à Régua, onde apanhámos o barco para iniciar o cruzeiro. Confesso que estava um pouco relutante em relação a esta viagem, pois sabia que duraria cerca de duas horas, e andar de comboio não é algo que me agrade muito. Contudo, como tinha a certeza de que o cruzeiro valeria a pena, e o entusiasmo para o mesmo era bastante, quase não me apercebi do tempo a passar dentro do comboio, pois as paisagens que íamos vendo eram de uma beleza extraordinária.

O rio Douro é lindo, com as suas margens melancólicas que apelam à saudade e deixaram em mim o desejo de querer voltar, de sentir a calma que estas paisagens transmitem. E foi esta sensação de calma que imperou em mim desde o início ao final do passeio. Fiquei completamente fascinado e, como não poderia deixar de ser, tirei algumas fotos para vos mostrar parte daquilo que vi neste dia:

Ed3Ed6Ed2Ed4Ed9Ed8

Espero que tenham gostado e que este passeio fique nos vossos planos!

Tudo a correr bem por esse lado, e sejam felizes!

Passeando pela Invicta

Este ano, e para ser um pouco diferente, decidimos em família passar uma semana das férias no norte do país, o que acabou por ser uma excelente opção visto o norte tem uma beleza muito própria.

Hoje, vou falar de uma cidade da qual gosto muito pela sua diferença em relação às outras: o Porto. Não querendo, de todo, menosprezar os restantes cantos do país, até porque acho que o que torna cada região bonita são os seus traços próprios, e Portugal tem muitas cidades, todas elas com as suas particularidades e é aí que está o encanto em cada uma.

Além desta ser uma cidade muito bonita, com uns traços muito mais antigos do que Lisboa, é também muito agradável para passear. As pessoas são muito divertidas, bem dispostas e adoram uma boa conversa e aproveitam todas as oportunidades para isso, seja em qualquer sítio ou circunstância, e estão sempre prontas a ajudar. É engraçado ver como pessoas de uma cidade relativamente grande podem ser tão acolhedoras com as pessoas  de fora!

Já cá tinha estado mais do que uma vez, mas tenho sempre a sensação de que falta sempre qualquer coisa para descobrir e sinto sempre que terei de voltar, nem que seja para passear na Ribeira e contemplar a ponte D. Luiz.

Um destes pontos que queria conhecer há algum tempo mas que não tinha tido oportunidade é a Lello, livraria centenária que inspirou J. K. Rowling quando escreveu o livro  Harry Potter e a Pedra Filosofal. A meia hora à espera na fila para entrar nesta livraria começou a valer a pena exatamente na hora em que pisei este maravilhoso espaço, uma livraria mesmo típica de filmes e de contos de fadas. Apesar de ter a sensação que era maior do que realmente é antes de lá ter entrado, fiquei encantado com esta livraria, tão encantadora quanto já me tinham descrito. Por isso, vale bastante a pena conhecer!

Apesar de Lisboa continuar a ser a minha cidade preferida do País, e de não me imaginar a viver em nenhuma outra cidade em Portugal, é impossível não ficar com um carinho especial pela invicta!

Deixo aqui algumas fotos do meu passeio pela cidade, espero que gostem!

Ed9Ed2Ed4Ed5Ed1Ed3Ed7Ed8

E vocês, já visitaram o Porto? Comentem aí em baixo o que mais gostaram!

Tudo a correr bem por esse lado, e sejam felizes! 🙂