Retrospetiva de 2018

2018 foi um ano muito intenso. Acho que é esta a palavra que define melhor o ano. Comecei este último ano ao lado da minha família, o meu porto seguro e as pessoas que me dão mais estabilidade. Depois do belíssimo espetáculo de fogo, acabei a noite ao lado de amigos da Madeira. Não podia ter começado melhor, com pessoas que tanto gosto e, um ano depois, decidi rever momentos importantes de 2018.

Para começar, deixo-vos um vlog para verem como se passa o réveillon na Madeira, gravado no dia 31 de dezembro de 2017 e 1 de janeiro de 2018:

Nos primeiros dias de janeiro esteve muito bom tempo cá na ilha, por isso fui dar um mergulho logo no dia 3 para matar as saudades de nadar, atividade que gosto muito. Voltei a Lisboa em meados do mês, matei saudades de vários amigos que também gosto muito e gravei o vídeo das 21 curiosidades sobre mim (podem ver abaixo).

Iniciei fevereiro como capa de revista da edição de fevereiro da Revista Fiesta, a revista da vida social madeirense. Apresentei o carnaval na minha terra Natal, iniciei o último semestre da licenciatura e fui passear e tirar fotos no Porto.

Março foi dos meses que mais gostei. Aproveitei ao máximo a 50ª edição da ModaLisboa, apareci em várias revistas e em vários canais e vi um dos meus outfit´s ser considerado pelo jornal “O Observador” como um dos melhores look´s desta edição da ModaLisboa.

Em abril gravei um dos trabalhos que mais gostei de gravar: a Pide da Moda. Em breve lançarei os bloopers deste trabalho que tanto me diverti, tanto durante o processo de gravação, como de edição e montagem. Neste mês levei trouxe também para conhecer uma amiga que gosto muito: a Júlia Orige, que ficou grande fã da “Pérola do Atlântico”. Comecei a estagiar como jornalista Rosa no Correio da Manhã e CMTV, estágio que durou até o final de junho.

Maio foi, talvez, o mês mais difícil, tanto a nível pessoal como profissional. Recebemos a Eurovisão em Portugal e fiz várias entrevistas relacionadas com o tema. Estive presente nos Globos de Ouro (admito que gostei imenso de passar na Passadeira Vermelha e de sentir o barulho dos flashes das máquinas fotográficas e o calor dos holofotes), vi acabar uma relação que durava há alguns meses e finalizei a licenciatura.

Realizei um sonho em junho: fiz televisão pela primeira vez, como repórter do “Flash Vidas”. Lancei o programa “a Manhã do Júlio”, que me diverti imenso a gravar, tive um esgotamento, fiz praia na Costa da Caparica, pela primeira vez, e terminei o estágio. Acho que nunca precisei tanto e férias como neste mês.

View this post on Instagram

Ontem foi assim. E hoje há mais 😊

A post shared by Luís Duarte Sousa (@luisduartedesousa) on

Aproveitei o início de julho para recuperar dos meses intensos que antecederam este mês, passei uma semana em Barcelona (podem ver o post sobre Barcelona clicando aqui), cidade que gostei muito, regressei à Madeira, fiz uma pequena cirurgia, sangrei da boca durante duas semanas devido à mesma, lidei com a hipótese de poder ter leucemia (mas felizmente foram apenas efeitos do esgotamento) e completei os 22 aninhos.

Agosto foi o mês menos produtivo em termos de trabalho mas mais produtivo em termos de descanso. Tirei este mês completo só para usufruir das coisas boas da vida. Estar com a família, com amigos, fazer praia, apanhar muito sol e dormir muito. Confesso que já estava mesmo a precisar de algum tempo sem fazer nada, visto que “nada” era algo que já não fazia há muito tempo.

Em setembro aproveitei os primeiros dias ao máximo visto que eram os meus últimos de férias. Confesso que tenho saudades da cor da minha pele desta altura, visto que já perdi todo o bronze de novo. Iniciei o mestrado em Cinema e Televisão, mestrado que pretendia e único a que me candidatei e vivi mais uma aventura ao lado da Júlia Orige: decidimos ir para o Porto de um dia para o outro e passámos quatro maravilhosos dias na Invicta.

View this post on Instagram

"Cadê o Porto? Aqui o Porto" 📸 @juliaorige

A post shared by Luís Duarte Sousa (@luisduartedesousa) on

Outubro foi um mês calmo. Aproveitei para escrever bastante para o blogue, adiantar trabalhos para a faculdade, e comecei a gravar “O Abismo”, uma adaptação de um texto que tinha escrito em maio. Foi também o mês da ModaLisboa e aproveitei para ver as coleções das estações seguintes.

Em novembro conheci uma cidade que gostei muito e que considero ser a minha favorita de Espanha até agora: Sevilha. Tirei muitas fotos, inclusive com um fotógrafo holandês, vim à Madeira para um casamento de uma prima que gosto muito e acabei de gravar “O Abismo”.

Dezembro foi uma mistura dos últimos três meses. Tive um pouco de tudo. Acabei vários trabalhos, lancei finalmente a curta-metragem, acabei as aulas deste semestre, diverti-me com amigos, despedi-me de uma amiga que gosto muito (que voltou para o Brasil), tive muitos jantares de família, festejei o Natal junto de pessoas que adoro e renovei energias para entrar com o é direito em 2019.

Estes foram os momentos mais marcantes do meu ano que findou. E para vocês, qual foi o momento mais marcante? Comentem em baixo!

Deixo-vos algumas fotografias do meu réveillon, espero que gostem do outfit:

Ed2Ed5Ed4Ed7Ed9Ed3Ed6Ed1

Tudo a correr bem por esse lado, e sejam felizes 😊

Caniçal, a pequena vila onde cresci

Há alguns dias estava a tomar um café em família e uma prima sugeriu-me que escrevesse mais sobre o Caniçal, a freguesia onde estão as minhas raízes. Gostei bastante da sugestão e, por isso, além de escrever sobre o sítio, decidi descrever um pouco da minha relação com a vila. Continue reading “Caniçal, a pequena vila onde cresci”

Mais um ano!

Mais um ano. Apenas mais um. Mas não foi um… já passaram vinte e dois.

E apenas me lembrei de que estava perto desta data porque os meus familiares fizeram questão de mostrar felicidade por já estar perto de celebrar os vinte e dois anos, eu próprio já me tinha esquecido. Continue reading “Mais um ano!”

Queima das Fitas

Passaram-se três anos. Passaram e durante os mesmos muita coisa se passou.

Lembro-me perfeitamente do dia em que tive oficialmente de deixar a ilha. De me ter despedido dos meus familiares mais próximos no dia anterior, de não querer soltar os meus avós, os meus tios e os meus primos. Foi uma despedida muito dolorosa. Principalmente por ser tão apegado à minha família como sou. Olhando para trás, admiro toda a força que tive nesse momento. Continue reading “Queima das Fitas”

Para a minha mãe

Hoje é um dia muito especial. Um dia em que todas as mães merecem ser aplaudidas de pé. Mãe é uma palavra ambígua, pois a progenitora nem sempre pode ser considerada mãe.

Desculpem as outras mães, todas elas merecem o meu respeito, mas hoje vou falar da melhor: a minha. Se não é a melhor mãe do mundo, o que desconfio muito, pelo menos é a melhor mãe que eu poderia ter tido. Continue reading “Para a minha mãe”

Bem-vindo 2018!

Chegou ao fim de um ciclo, e ao início de uma nova etapa. Como tal, seria impossível não fazer uma reflexão global e um balanço geral acerca do ano que acabou.

Concluo que apenas posso dizer uma coisa: OBRIGADO 2017. Sinto-me feliz e extremamente agradecido por tudo.

Obrigado por ter acabado o ano da melhor forma, pelas pessoas extraordinárias que conheci ou que mantive na minha vida, pelas pessoas que foram retiradas do meu círculo mais próximo, pelos momentos fantásticos que vivi, pelos momentos menos bons não terem sido tão maus como poderiam ter sido, por ter evoluído mais um pouco a nível profissional, por ter evoluído bastante enquanto pessoa, por estar cada vez mais próximo dos meus objetivos e por poder continuar esta caminhada rodeado de pessoas que adoro.

Não me poderia queixar se 2018 ficasse ao mesmo nível de 2017. Porém, o meu objetivo é evoluir sempre e, por isso, só posso desejar continuar a ser forte para continuar a lutar.

Sempre que começa o fogo-de-artifício que assinala o novo ano, cresce em mim a esperança de conseguir atingir os meus objetivos profissionais, de tornar-me apresentador de tv. Será neste novo ano? Daqui a um ano posso responder-vos a esta questão!

Obrigado a todos por me terem acompanhado durante este ano, e espero que continuem a fazê-lo!

Ed1Ed3Ed5Ed7Ed4Ed2Ed8Ed9

Tudo a correr bem por esse lado, e sejam felizes 🙂

FELIZ ANO NOVO!!

Natal na Ilha

Chegou a altura mais esperada do ano! Apesar de o Natal não ter vindo para ficar, a verdade é que já chegou e nota-se o espírito natalício espalhado por todo o ar. Não conseguem sentir até o cheiro a Natal? Eu sinto, e sabe-me muito bem.

Esta é a altura em que, geralmente, as pessoas deixam-se invadir pelo espírito e por este sentimento natalício, que é difícil de descrever mas que é tão bom e acolhedor. E o mundo torna-se melhor. Ou pelo menos parece que se torna melhor. Em qualquer canto ouve-se música, veem-se luzes e fica tudo mais colorido.

A minha experiência no Natal sempre foi muito boa. Mais do que do dia de Natal, o que mais gosto é a passagem do dia 24 para o dia 25 de dezembro. Esta é a festa da família e com uma família enorme como a minha e muito unida, era difícil de não aproveitar este momento com imensa intensidade.

Na Madeira vive-se muito esta época, pois o facto de ser um ambiente mais pequeno, apela bastante à união e os madeirenses são, por tradição, muito acolhedores, o que se evidencia, ainda mais, em ocasiões especiais como esta.

Para a véspera de Natal escolhi este blazer desportivo vermelho, cor que mais combina com esta altura do ano, e conjuguei-o com umas calças de ganga e com uma camisa branca, para que o foco do outfit fosse o blazer. Para torná-lo mais arrojado acrescentei uma écharpe azul, e aproveitei para tirar algumas fotos:

Ed5Ed7Ed6

Ed3Ed2Ed1Ed8

E o vosso Natal, como foi? Comentem em baixo!

Tudo a correr bem por esse lado, e sejam felizes 🙂

Festa de família na Quinta Splêndida

Boas pessoal!

Se usar fato com gravata é chique, usar fato sem gravata é, na minha opinião, ainda mais. Apesar de não ser tão clássico, nem tão formal, passa a imagem de um visual muito cuidado, mas extremamente moderno pelos botões da camisa abertos.

E foi este o estilo que optei por usar numa festa de família realizada na Quinta Splêndida. Apesar do ambiente formal, decidi optar por esta camisa semi-formal azul e branca. Achei que o tom de azul da camisa complementava o tom do fato, também azul. Este fato chamou-me a atenção assim que o vi. E parece-me que se adequou perfeitamente à ocasião.

Após um semestre longe de casa, esta festa foi a melhor forma para estar com a maior parte da minha família pois, com uma família bastante grande, torna-se difícil de reunir toda a gente. E que melhor altura do que a época natalícia para o fazer?

O local escolhido também não poderia ter sido melhor. A Quinta Splêndida, que se localiza no Caniço (ilha da Madeira), é uma das mais bonitas quintas da ilha. Além da comida ser espetacular, o espaço não fica mesmo nada atrás. Os jardins são lindíssimos, as salas de jantar muito agradáveis e a vista para o mar é mesmo de cortar a respiração.

Como não poderia deixar de ser, aproveitei para tirar algumas fotos para vos mostrar. Espero que gostem!

Ed8

Ed4Ed3Ed2Ed1Ed9Ed7Ed6

Tudo a correr bem por esse lado, e sejam felizes 🙂

A galope!

Apesar de nunca ter tido aulas de equitação, sempre achei que adoraria saber andar a cavalo. Assim, aproveitei a oportunidade enquanto estive de férias no Norte com a família, na quinta de um familiar, em Famalicão, para experimentar esta atividade que sempre suscitou curiosidade.

Sabem aquela sensação, de que os filmes transmitem, de uma adrenalina enorme, de estar a sentir o vento na cara, o cheiro a natureza, ouvir o galopar dos cavalos e, mesmo assim, conseguir o controle quase total deste animal?

Não, não foi isso que senti! Mas isso não quer dizer que a sensação não tenha sido boa. Muito pelo contrário, gostei muito da experiência, e a conexão que estabelecemos com este animal quando estamos por cima dele é algo muito bonito, mas difícil de explicar por palavras.

Por isso, apesar de ter sido num picadeiro e de ter tido ajuda e indicações, foi uma experiência que gostei bastante e que espero repetir assim que tenha oportunidade.

Como não poderia deixar de ser, aproveitei para tirar algumas fotos para vos mostrar e que aqui vos apresento:

Ed3

Ed4Ed5Ed2

E vocês, já andaram de cavalo? Comentem aí a vossa experiência!

Tudo a correr bem por esse lado, e sejam felizes!

Pelo Douro abaixo!

Boas pessoal!

Fazer um cruzeiro no rio Douro era algo que já estava nos planos da família há já algum tempo. Por isso, como neste ano passámos férias no Norte do país para celebrar os vinte e cinco anos de casados dos meus pais, achámos que era a altura ideal para realizar este famoso passeio.

Logo de manhã, iniciámos o percurso de comboio em direção à Régua, onde apanhámos o barco para iniciar o cruzeiro. Confesso que estava um pouco relutante em relação a esta viagem, pois sabia que duraria cerca de duas horas, e andar de comboio não é algo que me agrade muito. Contudo, como tinha a certeza de que o cruzeiro valeria a pena, e o entusiasmo para o mesmo era bastante, quase não me apercebi do tempo a passar dentro do comboio, pois as paisagens que íamos vendo eram de uma beleza extraordinária.

O rio Douro é lindo, com as suas margens melancólicas que apelam à saudade e deixaram em mim o desejo de querer voltar, de sentir a calma que estas paisagens transmitem. E foi esta sensação de calma que imperou em mim desde o início ao final do passeio. Fiquei completamente fascinado e, como não poderia deixar de ser, tirei algumas fotos para vos mostrar parte daquilo que vi neste dia:

Ed3Ed6Ed2Ed4Ed9Ed8

Espero que tenham gostado e que este passeio fique nos vossos planos!

Tudo a correr bem por esse lado, e sejam felizes!