Em 2017 ganhei uma “filha”

Em 2017 ganhei uma “filha”. Apesar de já ter 18 aninhos quando a conheci, foi quase amor à primeira vista.

Lembro-me da primeira vez em que a vi. Estava eu no meu último ano de faculdade, e ela tinha de acabado de iniciar a licenciatura. Era a caloira mais pequenina, com cerca de um metro e meio de altura e era natural da ilha do Pico, dos Açores. Tinha uma carinha angelical e lindíssima, inocente mas poderosa ao mesmo tempo. Continue reading “Em 2017 ganhei uma “filha””

Importância de ter uma irmã

Passaram quinze anos desde aquela noite em que mal dormi. Tinha oito anos na altura, mas lembro-me perfeitamente de cada segundo. Estava na casa dos meus avós, na noite de 11 para 12 de setembro de 2004, e extremamente ansioso pelo nascimento da minha irmã. Continue reading “Importância de ter uma irmã”

23 anos: recomeçar e continuar!

Boas pessoal!

Cheguei aos vinte e três anos! E muito melhor do que esperava. Sinto-me ótimo neste momento, muito melhor do que me senti durante alguns anos. Sinto que não há nada melhor do que sentir-me vivo e feliz sem nenhum motivo aparente. Continue reading “23 anos: recomeçar e continuar!”

“O dia em que me tornei mãe”

24 de julho de 1996: o dia em que me tornei mãe.

Desde sempre tive o desejo de ser mãe. Era um sentimento muito forte, aquele desejo de ver a barriga crescer, acompanhar a evolução de uma criança e ter o privilégio de ensinar os primeiros passos e as primeiras palavras.

Ao mesmo tempo, sabia que ter um filho era uma responsabilidade e um compromisso para a vida toda e esperei pelo momento certo para concretizar este desejo. Foi uma decisão planeada com tranquilidade, confiança e muita felicidade. Continue reading ““O dia em que me tornei mãe””

Dois anos do “Metropolitan Boy”

Boas pessoal!

Sei que sou bastante esquecido em relação a datas. Os meus amigos muitas vezes ficam chateados quando não me lembro da data de aniversário deles. E chegou ao cúmulo de não me lembrar do dia em que o meu blogue completou dois anos, o dia 15 de junho. Continue reading “Dois anos do “Metropolitan Boy””

Mais um ano!

Mais um ano. Apenas mais um. Mas não foi um… já passaram vinte e dois.

E apenas me lembrei de que estava perto desta data porque os meus familiares fizeram questão de mostrar felicidade por já estar perto de celebrar os vinte e dois anos, eu próprio já me tinha esquecido. Continue reading “Mais um ano!”