Grande entrevista a Elena Rosca

Elena Luana Rosca nasceu em 1989 no litoral da Roménia, numa cidade chamada Constança. Veio para Portugal aos 14 anos e, dois anos depois, competia internacionalmente pela Seleção Nacional de Ginástica Aeróbica, representando Portugal no Mundo e trazendo inúmeros troféus para o País.

Porquê teres vindo para Portugal?

A minha família veio para cá por razões profissionais. Primeiro veio o meu pai para Portugal e, posteriormente, vim ter com ele, juntamente com o meu irmão e a minha mãe. Na altura tinha 14 anos. Continue reading “Grande entrevista a Elena Rosca”

A magia de um pôr-do-sol

Boas pessoal!!

Não sou grande fã de citar-me a mim próprio, mas dei uma vez uma resposta para uma entrevista que acho ser um ótimo ponto de partida para este tema.

“Quem é o Luís quando não está a trabalhar?

Quando não estou a trabalhar gosto de cuidar de mim, tanto a nível físico como psicológico. Gosto de fazer exercício ao ar livre, nadar, ler, ouvir música, ver o pôr-do-sol e de estar com pessoas de quem eu gosto e que gostam de mim, do Luís enquanto pessoa e não apenas enquanto profissional. São estas pessoas e este tipo de atividades que me permitem continuar com força para novos projetos e desafios que possam aparecer na minha vida.” Continue reading “A magia de um pôr-do-sol”

Fim de semana na Costa da Caparica

Boas pessoal!!

Sabem aquelas alturas em que só apetece estar perto da água salgada, sentir o sol na pele e a brisa do mar na cara?

Já estava a sentir a falta disso há imenso tempo, e depois de dez dias seguidos de estágio, a Costa da Caparica pareceu-me a melhor solução para conseguir sair do ambiente de Lisboa e relaxar totalmente. Continue reading “Fim de semana na Costa da Caparica”

Queima das Fitas

Passaram-se três anos. Passaram e durante os mesmos muita coisa se passou.

Lembro-me perfeitamente do dia em que tive oficialmente de deixar a ilha. De me ter despedido dos meus familiares mais próximos no dia anterior, de não querer soltar os meus avós, os meus tios e os meus primos. Foi uma despedida muito dolorosa. Principalmente por ser tão apegado à minha família como sou. Olhando para trás, admiro toda a força que tive nesse momento. Continue reading “Queima das Fitas”

Tornas-te responsável por aquilo que cativas

Boas pessoal!!

Era bastante novo quando li, pela primeira vez, o livro “O Principezinho”.  Confesso que gostei muito na altura mas houve muita coisa que me passou ao lado pois não me deparava tanto com muitas das questões abordadas. As coisas eram como eram e ponto. Não ficava a questionar a fundo as relações entre pessoas nem a forma como interagiam umas com as outras.

Contudo, lembro-me de ter de o reler aos 14 anos. E aí, as coisas mudaram completamente de figura. Apesar de parecer um livro infantil, da primeira vez que o li, com cerca de 9 aninhos, não tinha maturidade para o perceber. Continue reading “Tornas-te responsável por aquilo que cativas”

Look neutro na ‘Rua Cor-de-Rosa’

Boas pessoal!!

Como sabem, tirar fotografias é uma atividade que gosto muito. É uma das minhas atividades prediletas para um dia de folga, em que possa estar a passear com amigos e a divertir-me ao mesmo tempo em frente a uma câmara…

Felizmente, tenho vários amigos que partilham o mesmo gosto pela fotografia do que eu, como é o caso do André Jardim, um grande amigo de longa data, que me tirou as fotos deste dia. Continue reading “Look neutro na ‘Rua Cor-de-Rosa’”

O abismo

Sabem aquela sensação de estar mesmo prestes a cair, mas estar, ainda assim, seguro por uma pequena corda, que tanto pode ser a vossa salvação ou a morte?

Bem, é essa a sensação. Aquela de querer deixar-se ir mas, ao mesmo tempo, querer conseguir agarrar-se ao máximo. Pensar no quanto a vida pode ser bonita. O quanto o mundo pode ser bonito. Se é que existe realmente beleza neste mundo. Mas algo diz que devemos continuar a acreditar que sim. Algo chamado impulso vital. Este ser cruel que nos mantém às voltas e voltas e constantemente a chegar a um abismo. Continue reading “O abismo”

Look descontraído e Estufa Fria

Boas pessoal!!

Gostei imenso deste conjunto, tanto das peças como das cores. A camisa enquartada azul e branca descontraída juntamente com as calças azuis clássicas deram o efeito que pretendia. Sei que pareço um cowboi, mas provavelmente é por andar a ver a série WestWorld (fiz uma crítica a esta série, podem ler clicando aqui).

Sempre gostei de conjugar o castanho com o azul, e esta camisa leve foi ideal para este dia de imenso calor, resultando num outfit ao mesmo tempo clássico mas descontraído, principalmente pela utilização das “Chelsea Boots” e do chapéu, acessório que tanto gosto de usar. Continue reading “Look descontraído e Estufa Fria”

Para a minha mãe

Hoje é um dia muito especial. Um dia em que todas as mães merecem ser aplaudidas de pé. Mãe é uma palavra ambígua, pois a progenitora nem sempre pode ser considerada mãe.

Desculpem as outras mães, todas elas merecem o meu respeito, mas hoje vou falar da melhor: a minha. Se não é a melhor mãe do mundo, o que desconfio muito, pelo menos é a melhor mãe que eu poderia ter tido.

A primeira mulher por quem me apaixonei, a verdadeira mulher da minha vida, uma pessoa fora do comum que marca pela diferença por todos os sítios onde passa e a todos marca com a sua personalidade.

Mãe, só Deus sabe o quanto me custa não poder estar contigo todos os dias, nem que seja para poder dar-te um beijinho ou um abraço antes de ir dormir, poder levar-te um café ou fruta descascada, enquanto corriges testes ou preparas aulas, ou acordar com o pequeno-almoço na cama trazido por ti. Não é fácil ter de optar entre a tua companhia diária e o meu maior sonho.

Sempre foste a pessoa que eu mais admirei e continuo a admirar, principalmente pela tua beleza interior. És a pessoa mais bonita e genuína que conheço, e acredita que conheço muitas pessoas.

A tua força, em simultâneo com a tua fragilidade e sensibilidade em relação ao mundo é das coisas mais bonitas que já conheci. Tal como és o maior pilar para mim, sinto que também sou um pilar forte para ti, e sabes que em mim terás sempre um admirador, protetor e confidente para todas as ocasiões.

Nas noites mal dormidas em criança, nos muitos momentos em que estive doente, em todos os momentos em que fui posto à prova tu estiveste sempre comigo. E isso é algo que é impossível pagar. Que apenas alguém que ama muito outra pessoa consegue fazer, e espero um dia poder retribuir-te isso.

Nunca me esquecerei dos melhores momentos que passámos juntos, e passámos realmente muitos momentos ótimos, desde os inúmeros passeios, viagens, ou simples conversas que me marcaram para sempre. É verdade que juntos também já passámos momentos muito, mas mesmo muito difíceis. Mas uma palavra sobressai sempre: ‘juntos’.

E é assim que continuaremos até o final dos meus dias!

Com muito amor, do teu filho,

Duarte

Série WestWorld- opinião

Boas pessoal!!

Com o início da segunda temporada, decidi fazer uma crítica à série “WestWorld”, que me fascinou desde o primeiro episódio.

Conseguem imaginar um parque futurista em que vale tudo desde matar e violar sem nenhuma consequência? A única regra é que os visitantes não podem ser mortos.

E como é que é possível matar sem ser morto?

O parque dispõe de um grande número de robôs, os chamados ‘anfitriões’, que tudo farão para levar os convidados a ter uma aventura, seja ela uma noite de prazer ou a busca a um assassino. Os robôs, que em nada se diferem dos seres humanos, possuem uma narrativa e até são capazes de fazer pequenos improvisos. Possuem consciência, sentimentos e uma história encenada pelos criadores, para que estes consigam agir como seres humanos.

Contudo, não fazem ideia de que a realidade em que vivem não existe, que apenas existem para divertirem os visitantes do parque. Que são apenas bonecos que sofrem, lutam e ‘vivem’ porque foram criados por alguém, o que nos faz deparar com questões pouco éticas relacionadas com esta realidade.

A nível de história não me adiantarei muito mais porque o meu objectivo não é ser ‘spoiler’, mas conseguir convencer-vos a verem esta série espectacular!

A nível técnico, está muito bem realizada, apresenta-nos várias realidades ao mesmo tempo, o que nos faz, muitas vezes, ficarmos confusos e sem percebermos o que realmente está a acontecer. O factor surpresa é constante e faz com que nos sintamos completamente dentro da história.

A banda sonora da série é determinante para tornar aumentar a densidade da história e os atores foram muito bem escolhidos!

Westworldwestworld-episode-2-spoiler-review-ben-barnes-jimmi-simpsonwestworld-finale1The_Well-Tempered_Clavierwestworldlede+2

Ps: nenhuma destas imagens é da minha autoria.

E vocês, ficaram com curiosidade de ver? Ou se já viram, concordam com a minha crítica? Comentem aí em baixo!

Tudo a correr bem por esse lado, e sejam felizes J